Hiper Badotti 93017
AM Turismo
Cimadon Informática
Badotti Topo
Covid 3 98869
Menu 2020

Notícias

Home >Notícias >Quirera Gourmet – 12/01/2021

Quirera Gourmet Visualizações: 5742

Quirera Gourmet – 12/01/2021

Quirera Gourmet – 12/01/2021

Queria Muito…

Queria muito, nesses dias que arrastam a incerteza da Pandemia, poder recobrar a despreocupação que existia antes, quando tantos medos não atormentavam a gente. É muito ruim ficar atento, todo dia, aos números de casos positivos, de recuperados e de mortes. E precisar observar bem, a toda hora, o local onde a gente coloca as mãos, as pessoas com quem conversamos e as que queremos, mas não devemos abraçar.

Quando escuto falar em novo normal parece que tenho mais de cem anos. Sou do tempo em que pandemias, ou pestes, eram coisas que só existiam nos livros de história. Eu tinha certeza que essas coisas jamais aconteceriam novamente. e, por conta desse grosseiro erro de cálculo, revi e reduzi drasticamente minha lista de certezas. Hoje a maior certeza é a de que o Homem neste planeta está,a continuar assim, com os dias contados.

Renegados

A Pandemia – dizem profetas, também ressuscitados nestes tempos de incertezas – foi um aviso de que as coisas no planeta não vão nada bem, para os seus habitantes. E não foi a Onu, nem o FMI, nem a Ciência e nem o Presidente dos Estados Unidos quem disse isso. Foi o Corona Vírus mesmo quem falou. E também o Papa, embora eu não possa ser considerado religioso, o Papa Francisco deve ter sido a única figura universal a alertar, reiteradamente, que as coisas neste planeta não vão nada bem!

Nunca me arvorei a ser profeta, nem sei ler cartas de Tarô, ou ver o destino, ou ver ”la suerte” igual as ciganas da minha infância. Mas acho incrível, inacreditável, que uma civilização que tenha – ao longo de milênios ainda nem bem calculados – preservado as uvas, o pão, o vinho, o mel, reconhecido seu valor, e de outros inúmeros valores, para sustentar a vida de milhões, que tal civilização hoje passe a renegar e ignorar imprescindíveis conhecimentos, às duras penas adquiridos, acumulados, escritos e preservados. Renegados, negativistas querem apagar a evolução!

Só Deus…

A atual sociedade humana, não a brasileira, a universal, passou a contar com a presença de seres que não devem ser legítimos seres humanos. Devem ser falsificados, robôs, mutantes, ou seres extraterrestres, fantasiados e programados parta imitar os humanos. Ao longo de milhares de anos – contam os mais insuspeitos livros de História humana – a civilização evoluiu. Mas agora parece que parou. Estamos regredindo, voltando ao tempo das trevas!

Vejo um boom de religiosidade, uma onda mundial onde, igual aos tempos medievais, Deus é desenhado e pintado como aquele que pode e deve ser acionado para resolver todos, literalmente todos os problemas ou obstáculos que surgem em nossa caminhada aqui neste planeta. Parece que para muitas pessoas só existe Deus. Eles mesmos, seres humanos capazes, inteligentes e gozando de plena saúde, simplesmente se anulam e apelam a Deus para tudo, sempre, toda hora! Tenho a impressão que tais seres não acreditam mais neles mesmos…

Vaga no Paraíso

Some-se a isso o surgimento de milhares de novos vendedores de terrenos no céu, bem igual aos fariseus expulsos do templo, cujo verdadeiro e único Deus, para eles, é o dinheiro! E somente o dinheiro é capaz de fazê-los felizes, realizados e satisfeitos com suas vidas. Vidas que a Pandemia acabou por vulgarizar, achatar, minimizar de vez o seu inestimável e incalculável valor, com uma força jamais vista antes!

Muitos estudiosos também arriscam o palpite de que a civilização humana no planeta enlouqueceu, ou perdeu o juízo que algum dia conseguiu reunir e cultivar. Tem pessoas trabalhadoras, inteligentes e honestas que passaram acreditar firmemente que a terra é plana. E outros também acreditam que se você tiver fé em Deus, você será blindado contra todo e qualquer mal. E terá vaga reservada no paraíso…

Amor, só pelo Dinheiro!

Queria muito não ver mais filhos torturando e matando cruelmente os seus pais, ou mesmo seus próprios filhos, ou cometendo estupros contra crianças e idosos ou mulheres, com qualquer idade. Tais absurdos são ocorrência “normal”, comum e facilmente encontrada nos noticiários de todo e qualquer dia. E essa moda só aumenta, a cada dia, sem parar, há décadas…

O amor familiar morreu, junto com a maioria dos outros amores. O único amor que cresce a olhos vistos, todos os dias, é o amor pelo dinheiro, pelo conforto e pela ostentação de privilégios – muitos deles conseguidos à custa da vida e de muitos sacrifícios de outras vidas humanas, seres semelhantes a todos nós. Mas olimpicamente ignorados e às vezes, inacreditavelmente submetidos à escravidão. E bem diante de nossos olhos, impassíveis…

Fraternidade é algo que só se escuta falar em datas especiais, como o Natal dos cristãos. E mesmo assim com pessoas ostentando que “ajudam os outros”, para posar de virtuosos ou solidários. E fazem isso para mostrar que são melhores que os outros, e que estão ajudando os outros – não por amá-los – mas para garantir sua vaga no céu! A profunda verdade que nos lembra que viemos e voltaremos ao pó, foi há tempos abolida. A maioria não acredita nisso, acredita que vamos para o céu!

Os Melhores…

Outra verdade riscada do mapa do planeta é a de que somos todos iguais: Hoje, ninguém admite ser chamado de igual: todo mundo quer é ser melhor, mais inteligente, mais bonito e mais famoso que os demais. Ninguém, quer ser igual, nem parecido com qualquer outra pessoa. O tal ego do Ser Humano cresceu sem parar. Ele só recolocado no devido lugar, e ridicularizado agora, pela Pandemia. E foi grande o tombo!

Por isso eu acredito – cada dia mais: A Pandemia, que prefiro chamar de peste, é um aviso de que o ser humano, neste planeta, vai de mal a pior. E também que é difícil imaginar que exista, no infinito universo, um outro planeta tão perfeito quanto o nosso. Mais difícil ainda é imaginar que algum outro planeta aceite receber o Ser Humano como seu novo morador, depois de ver o que estamos fazendo no Planeta Terra.

Assim, Não Dá Mais!

Queria muito que as incertezas com a Pandemia se reduzissem apenas ao medo da doença; porém minhas incertezas com ela são bem maiores. Mesmo não me considerando uma pessoa religiosa (sou, apenas medianamente, um católico não praticante), costumo me referir a Deus como O Senhor das Esferas, um ser sem dúvidas superior. Mas um Deus sem raiva, nem ódio de pecadores, de infiéis ou de agnósticos e ateus que lhe é atribuída pelos falsos profetas, fariseus e dinheiristas vulgares. Deus não precisa ameaçar ninguém, por qualquer pecado. Para mim, o Senhor das Esferas com a Pandemia mandou avisar: Assim, não dá mais!

Queria que estas palavras fizessem efeito, não sobre muitas, mas sobre algumas poucas pessoas. Aquelas pessoas que detém em suas mãos o imensurável poder de ainda conseguir mostrar a realidade para seres que não se parecem em nada com os Humanos, do modelo clássico. Queria muito ver ressuscitar o Humano que sobreviveu a pestes, a guerras e a grandes catástrofes que quase acabaram com a vida no planeta. É lógico, não tenho a mínima esperança de que isso possa acontecer.

Mesmo assim, queria muito!

 

 

Publicidades

Sulcredi Interno
LisaFarma Interno
282 Recursos de Multas Interno
Churrascaria Deck – Bom Jesus Interno
Mecânica LDL Interno
Becks Calçados – Interno
Funerária Giroletta
Dentista Visoli Bom Jesus – Interno
Ideal Veículos Interno
AE Interno
Center Som Interno
Barbearia Cesar – Joi Interno
Leomar persianas Interno
For boys rodapé